Adolescentes transando

Ainda é muito desigual. Porque é bom. Só que esquece a carteira em casa e compra outro. Ninguém nunca me perguntou como se faz sexo, se dói. Existe também uma inconsequência: fazem uma espécie de roleta-russa, confiando na sorte. Mas aos 14 e 15 anos, é uma coisa com a qual elas convivem com naturalidade.

Anúncios contatos diário 298832

Colunistas

Fidinésio Mendes ri de sua primeira transa, aos 15 anos. Uma hora iria rolar. Depois ficou tranqüilo. Hoje, aos 21 anos, acha que se precipitou. Medo de engravidar, de pegar doenças. É consenso entre os médicos que o apelo da mídia e o volume de informações disponíveis em canais diversos, como a internet, influenciam a precocidade da atividade sexual. Só sabemos que tudo isso indica uma tendência genética. Mais marcante, neles, é a mudança comportamental e social, em grandioso parte resultado das mudanças vividas pelas garotas. Hoje os garotos encontram seus pares dentro de seus grupos.

'Toda adolescente tem que saber que sexo é bom e não pode doer nunca’ diz ginecologista

Exatamente é muito desigual. Porque é conveniente. Só que esquece a carteira em casa e compra outro. Ninguém nunca me perguntou como se faz sexo, se dói. Existe também uma inconsequência: fazem uma espécie de roleta-russa, confiando na sorte. Mas aos 14 e 15 anos, é uma coisa com a qual elas convivem com origem. Toda adolescente tem que saber que sexo é bom.

Pais ligados

E pensando aqui. O texto serviu pra mim. Obrigada. Eu adorei o texto. Mas outros, ele comete com pouca frequência…. E copular depois outro cariz, que vai ter os mesmos defeitos ou mesmo defeitos piores.

Leave a Reply

Your email address will not be published.*